Image Hosted by ImageShack.us

Monday, November 27, 2006

anjos e demónios...


anjos e demónios...


duas criaturas...
dois seres solitários,
mas não sozinhos...
percorrendo mil mundos,
por entre labirintos infinitos,
e por entre os abismos de todos os seres,
procurando um errante sonhador,
que nos acompanhe nesta jornada...

os nossos olhos, ainda que fechados,
sentem a tua presença,
os nossos ouvidos sentem a tua voz,
que encanta e seduz...
um errante sonhador... tu...
apenas humano...
com todos os teus defeitos e qualidades,
com receio das emoções e
de acreditar nos sentimentos,
mas que crê no perigoso real...

aproveitamos a pausa e contemplamos a vida...
conduzimos-te agora pela eternidade,
ultrapassando os portais da impossibilidade,
onde a aurora é a luz e
o crepúsculo a escuridão...
e nós... anjos e demónios,
tão diferentes e tão iguais...
sob som acalentador desta eterna canção,
os nossos corpos estenderemos numa cama solitária,
e ali ficaremos... até ao novo amanhecer...

Wednesday, November 22, 2006

a tempestade...


a tempestade...


atravessamos caminhos por onde delira a linguagem
e que conduzem-nos ao inusitado limiar dos sonhos...
cai uma tempestade, soturna, que enegrece o céu,
tortura-nos com malícia e devora-nos na penumbra...

continuamos e vagueamos, foragidos da realidade,
procurando manter viva esta chama de sonhos,
nesta dimensão em que o amor e a paixão,
me deixam escrever mais uma página do meu destino...

viajamos juntos, tão próximos, de um modo tão nosso,
e ao mesmo instante, tão ausentes e distantes...

cavalgamos juntos...
eu, guerreira, vestida de vida,
voando nas nuvens com o meu dragão...
e tu, meu nobre cavaleiro, preso à terra...
para sempre cavaleiro do meu coração...

Friday, November 17, 2006

uma próxima vez...


para ti A. terna e eternamente

uma próxima vez....

lá fora a noite é fria,
e o vento assobia por entre as folhas...
espero uma mensagem, um email...
falta alguém aqui... faltas tu...

lentamente entraste na minha vida...
as tuas letras amontoaram-se em palavras,
uniram-se em frases,
que se encaixaram em textos e mensagens...

afinidade... simpatia...
carinho... sintonia...
um sentimento nascia,
mas não conseguia defini-lo...
e o tempo foi passando...

agora a chuva cai, molha o meu rosto,
e apesar do frio que sinto,
da distância que nos separa,
e da saudade que invade o meu coração,
digo-te, como me disseste um dia,
a vida é bonita...
sim, a vida é bonita...

um dia partilhamos um momento
e voltaremos a encontrar-nos
no universo, onde os versos são o caminho,
que tal como sonhos voam livres,
nesta ou numa outra vida...
porque tal como nos encontramos agora,
haverá uma próxima vez...
sempre houve e sempre haverá...

um terno e eterno até já...

Sunday, November 12, 2006

a morte dos sonhos...


a morte dos sonhos…

tic-tac, tic-tac...
ouço na sala o solo do relógio do meu bisavô...
este som ecoa nos meus pensamentos,
vagueia pela minha mente, agora vazia,
e verbaliza-se nas palavras que escrevo...

tic-tac, tic-tac...
estremeço… não… definitivamente não é de frio...
é este lamento angustiado, que como o canto triste
dos pássaros em cativeiro,
faz-me lembrar o quanto sou etérea e cativa do tempo,
e que agora não posso fazer nada... mais nada...

tic-tac, tic-tac...
ainda assim, um grito de liberdade percorre o meu corpo,
e mesmo que as minhas palavras não sejam mais
que murmúrios de rebeldia,
quero mais que um viver por viver...

tic-tac, tic-tac...
este lamento angustiante,
como que uma voz que clama ao infinito,
recorda-me que a morte dos sonhos é lenta,
triste, agonizante, dolorosa...
mas ainda assim... e enquanto um sopro de vida
percorrer o meu corpo,
vou lutar por um sonho... por este sonho...

Tuesday, November 07, 2006

o meu castelo... o castelo dos sonhos...




o meu castelo... o castelo dos sonhos...

aqui, e durante este ano, construí o meu castelo...
as suas portas são largas e estão sempre abertas,
para que todos possam sempre entrar,
as janelas são enormes e não têm grades,
para que o vento passe trazendo sementes de alegria...
e para que possa ver sempre a lua a brilhar no firmamento...

as paredes são feitas de abraços e de poesias,
numa mistura de cimentos de carinhos e versos
com tijolos de amizade e rimas de poemas,
e foram pintadas com nuances de amor e raios de luar...

os dois pisos são de madeira, tatuados com estrofes,
e com o perfume de campos de flores...
na torre, onde estão guardadas as ilusões,
tenho uma lareira que aquece durante o inverno...
e uma enorme clarabóia,
por onde vejo as estrelas nas noites de verão...

e no meu jardim, cheio de flores e árvores,
está um banco de madeira, onde foram gravados,
com um canivete, nomes e promessas de eternidade,
feitas por todos os que passaram por aqui...

entra... sê bem vindo ao meu castelo...
e como o direito de sonhar é dos pobres, tolos e loucos...
e de tolo e louco, cada um de nós tem um pouco,
dá asas à imaginação e deixa-te levar...
olha a vida com os olhos da alma,
bate as tuas asas e voa,
mergulhando no amor...


obrigada cesar. .. tinhas razão... o livro ficou lindo...

um ano... cem posts...

obrigada a todos os que fizeram, fazem e farão sempre parte dos meus sonhos...

Sunday, November 05, 2006

o sonho só existe para quem nele acredita!


o sonho só existe para quem nele quer acreditar!

sim...
o sonho só existe quando se acredita nele...
quantas vezes, ao estarmos a pensar, sozinhos, no nosso mundo,
não gostaríamos de estar com um alguém especial...
um alguém que visualizamos dentro de nós, mas que está distante...
no nosso imaginário... será que existe realmente?!?

alguém que ainda não nos conhece,
pelo menos não como esperávamos e gostaríamos que fosse...
alguém que acompanhamos...
quer através de amigos, quer através dos seus escritos,
mas que nos ignora totalmente ( pensamos nós...)

quantas vezes imaginamos como seria o amor...
fazer amor com alguém a quem não temos acesso?
alguém que sabemos que tem tudo a ver connosco,
mas que o destino não quis,
ou ainda não deixou que se aproximasse de nós...

e esperamos... solitários...
mas os nossos mundos tendem a não se aproximarem...
ou a não nos amarmos...
cada um, no seu canto, sente-se marginalizado...
abandonado pela paixão e pelo amor...
vivendo ainda do e no passado...
um passado que também trouxe tristezas e decepções,
dor e sofrimento...
quantas vezes, como poetas,
criamos fantasias e sonhos de amor,
com e através da nossa fértil imaginação?
quantas vezes?

mas se existem rosas, lindas e maravilhosas, neste mundo,
porque não podemos nós acreditar que tudo o que é belo e mágico pode acontecer?
e que passará a fazer parte integrante das nossas vidas?
e que o amor pode chegar outra vez?

para sermos felizes não podemos nunca desistir de acreditar...
de viver, de sentir e de amar...
mesmo que para isso,
necessitemos de vivos sonhos dentro de cada um de nós...

Thursday, November 02, 2006

rêve d'aimer...


rêve d'aimer...

énamourée de ton corps,
passionnée par tes efforts,
dépendants de tes gestes,
tu me le demande, je reste...

éblouie par tes yeux,
prés de toi j’ai le mieux…
attentive de ta vie,
concernée par tes envies...

un instant loin de toi,
envie d’être dans tes bras,
présente à mes côtés
je veux seulement t’aimer!!!

je rêve d’aimer
comme dans les films,
je rêve d’être aimer
comme ceux qu’on voit dans les livres...

depuis quelques jours,
j’ai connu l’amour…
il est si magnifique,
je me croirais dans un conte fantastique...

je n’ose pas lui avouer,
a quel point je l’aime…
si seulement il pouvait m’aimer,
il n’y aurait plus aucun problème...

pourquoi je ne suis pas
une sirène au chant magnifique,
et toi...
un prince que me jouerais de la musique...

malheureusement,
je ne suis que moi,
et tout ce temps,
je me demande pourquoi...